bem vindos,

Welcome! + Primeira resenha – Cem anos de solidão (1967)

quarta-feira, janeiro 27, 2016 Digaí, Leitores! 3 Comments

Digaí, leitores! Primeiro post do blog e a gente tá bem feliz!

Queremos aproveitar o momento para agradecer a todos pelo apoio na construção dessa ideia. Nós sabemos que esse não é o primeiro blog com a temática voltada para o cenário literário, moda, beleza e afins, assim como também não será o último, mas acreditamos que se novos blogs do tipo surgem a cada dia, é em razão das pessoas estarem cada vez mais interessadas, apaixonadas e envolvidas por esse mundo, e isso é algo positivo. Nosso caso não é diferente e por isso pedimos a vocês que se juntem a nós e nos ajudem a fazer isso crescer. Então, pra começar bem e deixar todo mundo incentivado, estamos planejando um sorteio para os próximos dias e assim que estiver tudo certo, vamos postar maiores informações pra vocês. Além disso, é sempre válido lembrar que procuramos novas parcerias, sejam estes outros blogs, lojas, editoras, marcas, etc. É importante para nós ter esse auxílio pra fazer a coisa andar. Tivemos sorte de já iniciar o blog com uma grande parceria com a Editora Novo Conceito e desejamos que esse seja o primeiro de muitos.



Nesse primeiro post, pensamos em nossa primeira resenha de livros, com um livro bastante especial pra literatura latina e por todo o mundo: CEM ANOS DE SOLIDÃO, do autor colombiano Gabriel García Márquez (Gabo, 1927-2014). publicado originalmente em 1967 e desde então traduzido para diversas línguas e transformado em diversas edições. Deu ao escritor, inclusive, o prêmio Nobel de Literatura de 1982, e não é difícil saber a razão. (fonte: Wikipédia)

Macondo está longe de ser uma cidade pacata e normal. Seus moradores são seres extraordinários, ainda que sejam extremamente humanos; com todas as melhores e piores qualidades que essa espécie pode ter. A história se trata da família Buendía, a principal família fundadora da cidade, e percorre essas vidas durante longos cem anos – nos trazendo mistos de sensações, uma série de momentos icônicos, histórias, perdas, mortes, mistérios, alegrias e tristezas, solidão e companheirismo, além de, é claro, um sutil toque de fantasia que o Gabriel Garcia Márquez consegue passar em palavras e nos fazer sentir e adentrar nesse mundo como se realmente existisse.

José Arcadio Buendía e Úrsula Iguarán são os patriarca e matriarca da família. Tiveram cinco filhos e é entorno deles que a história inicialmente caminha e cresce, mostrando-nos todas as gerações dos Buendía com seus inícios e fins. Além de eventos dentro da casa que abriga a família por dez décadas, são narrados também acontecimentos inusitados que ocorrem naquela cidade, indo do humor até os grandes dramas. É um livro, definitivamente, que você pode esperar de tudo, mas em um nível que se sabe que a qualidade permanecerá alta e só fará a história nos alimentar bem e nos fazer pedir por mais.



Ler "Cem anos de solidão" é poder refletir sobre o ser humano em sua essência e até mesmo na sua mais rasa superfície. É poder conhecer personagens que vivem mais de 100 anos, outros que sucumbem ao luto e solidão até a morte, alguns que enlouquecem ou morrem cedo demais; outros que guardam nas lembranças as feridas da guerra ou que jamais se desapegam da solidão. Têm aqueles que, sabe-se lá porque, são seguidos por borboletas enquanto andam; e há quem diga sobre os de beleza sobre-humana, que são elevados ao céu num dia qualquer. São definitivamente pessoas feitas de prosa e poesia, que se envolvem em histórias loucas e te envolvem nessa mesma loucura. No mais, não é uma leitura fácil. Há vários relatos de pessoas que não conseguiram terminar de ler, principalmente por ter muitos personagens e isso parecer confuso certo momento. Mas uma das coisas mais interessantes desse livro é justamente isso: ainda que tenham diversos personagens de várias gerações, alguma hora você pode até se confundir com quem é filho de quem, mas o autor consegue construir muito bem a personalidade de cada um, uma vez que dá a eles, muitas vezes, características marcantes e exclusivas. Além disso, você também pode encontrar na internet uma árvore genealógica com todos os personagens e membros da família para auxiliar na leitura, mas o melhor mesmo é se deixar confundir e se perder com essa estirpe de solitários.

Então selecionamos as melhores capas/edições brasileiras do livro para você. É só escolher uma e se jogar! Esperemos que gostem, tanto do livro quanto da resenha. Até a próxima! 


Você pode gostar também de

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Já vi muitas pessoas a falarem sobre esse livro, mas nunca decidi o ler, mas fiquei curiosa com a sua resenha. Optima resenha :)

    Adorei o seu blog e já estou a seguir :)

    beijos,
    Daniela RC
    Blogue: Doce Sonhadora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Daniela! Ficamos felizes que tenha gostado. :))

      Excluir