literatura,

Resenha / Livro / Garota, Interrompida

terça-feira, abril 12, 2016 Digaí, Leitores! 3 Comments



Sinopse: Quando a realidade torna-se brutal demais para uma garota de 18 anos, ela é hospitalizada. O ano é 1967 e a realidade é brutal para muitas pessoas. Mesmo assim poucas são consideradas loucas e trancadas por se recusarem a seguir padrões e encarar a realidade. Susanna Kaysen era uma delas. Sua lucidez e percepção do mundo à sua volta era logo que seus pais, amigos e professores não entendiam. E sua vida transformou-se ao colocar os pés pela primeira vez no hospital psiquiátrico McLean, onde, nos dois anos seguintes, Susanna precisou encontrar um novo foco, uma nova interpretação de mundo, um contato com ela mesma.


GIRL, INTERRUPTED / Autora: Susanna Kaysen / Editora: Única Editora / Ano: 2013 / Páginas: 190 / Gênero: Drama / Avaliação


✖ SOBRE A HISTÓRIA
A história se passa entorno dos anos 60, quando Susanna N. Kaysen ainda tinha 18 anos. Após uma tentativa de suicídio, foi encaminhada para tratamento em um hospital psiquiátrico, onde passou cerca de 2 anos em recuperação. Seu diagnóstico era de Borderline, qual Susanna pode vivenciar enquanto passava uma longa estádia no Hospital McLean, em companhia de colegas nada comuns. Uma delas – Lisa Howe – diagnosticada como Sociopata, se torna a amiga mais próxima de Susanna, qual ela admira e até mesmo fica um pouco obcecada pela garota que vive fugindo do hospital. Gosto particularmente dessa personagem. Na verdade todas as pacientes do MCLean que Susanna nos mostra tem algo especial e fascinante. São garotas ditas como loucas, que precisam enfrentar o karma das suas doenças dentro daquela ala feminina de um hospital psiquiátrico – que ora era como refugio e ora era como uma prisão.

Sobre a doença de Susanne (Transtorno de personalidade limítrofe), é um transtorno onde o sujeito se encontra numa linha tênue entre a neurose (dita como uma estrutura "normal") e a psicose, onde a própria Susanna narra no livro como "[...] um padrão invasivo de instabilidade da autoimagem, das relações interpessoais e do estado de espírito e que se manifesta na idade adulta e em diversos contextos." (p. 163). Como eu estudo psicologia, gosto bastante de livros/filmes/séries que trazem esse contexto e que ilustram bastante o que eu estudo e aprendo. Tá aí um bom motivo para fazer a leitura para os que também gostam do gênero.

É um livro bem fácil de ler, rápido e rosa. Susanna narra bem a sua história, mas para quem leu o livro depois de adorar e assistir o filme umas 5x (como eu), sente na obra um pouco a desejar da relação entre as personagens, de alguns acontecimentos e outros motivos que eu falarei em breve, na opinião sobre o filme.












✖ SOBRE A AUTORA
Susanna nasceu em 11 de novembro de 1948, na cidade de Cambridge, Massachusetts. Escreveu cerca de cinco livros, sendo um deles o que a deixou mundialmente famosa, "Girl, Interrupted" (1993). Nesse livro Susanna relata as memórias de quando foi internada no Hospital MCLean em 1967, tendo suspeita de depressão após uma "tentativa de suicídio". Outras obras de Kaysen também são autobiográficos, relatando coisas da sua infância, dos seus relacionamentos e família, como "The Camera My Mother Gave Me", "Cambridge", "Far Afield" e "Asa, as I Knew Him". Atualmente a escritora tem 65 anos e ainda vive em Cambridge.



 SOBRE O FILME
O livrou foi inspiração de um filme que leva o mesmo nome, dirigido por James Mongold e lançado em 1999. Eu particularmente adoro essa adaptação por uma série de motivos, na minha opinião consegue superar o livro em muitas coisas. Acredito que um dos pontos altos desse filme, além do elenco maravilhoso de grandes atrizes – como Winona Ryder, Angelina Jolie, Brittany Murphy e Whoopi Goldberg –, é a forma como as personagens nos envolvem em suas histórias, suas doenças e o modo como elas lidam com esse fardo, presas em um lugar onde outras mulheres lutam diariamente com seus próprios demônios. Outro fato legal, e que deu muito certo, foram algumas pequenas mudanças que fizeram no roteiro do filme a e que eu esperei ver no livro (já que li depois de assistir), mas infelizmente muita coisa legal que tem na filmografia, não faz parte da história real de Susanna. Para quem ainda não assistiu, confira o trailer por aqui. Super recomendo!

✖ QUOTES
"As pessoas me perguntam: como você foi parar lá? O que querem saber, na verdade, é se existe alguma possibilidade de também acabarem lá. Não sei responder à verdadeira pergunta. Só posso dizer: é fácil." (p. 11)

"Eu não era uma ameaça para a sociedade. Seria uma ameaça para mim mesma? As cinquenta aspirinas... mas isso eu já expliquei. Eram metafóricas. Eu queria me livrar de certo aspecto da minha personalidade. O que eu fiz com aquelas aspirinas foi uma espécie de autoaborto. Por algum tempo, deu certo. Depois, o efeito passou, mas não tive coragem de tentar de novo." (p. 49-50)






Não esquece de nos seguir em nossas redes sociais:
Facebook Instagram Twitter 
_________________________

Você pode gostar também de

3 comentários:

  1. sou muito do tipo de pessoa que compra livro pela capa (me julguem) esse eu compraria sem sombra de duvidas, gostei bastante da história com certeza vou ler e ver o filme também, ótima resenha como sempre. beijos

    http://entrevereviver.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Caramba, não sei porque, nunca assisti ao filme, mas lendo a esta resenha , senti uma conexão com a história, estou super ansiosa para ler, agora mesmo. Caramba!
    Amei!



    www.insaturada.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, eu nunca li esse livro, mais eu ja assistir o filme e gostei muito e foi através do filme que eu soube que tinha o livro, li sua resenha e me despertou o interesse de ler ele. E adorei sua resenha.

    beijos!
    https://mficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir