literatura,

Resenha / Livro / A Garota Perfeita

quarta-feira, fevereiro 22, 2017 Raquel Pinheiro 0 Comments



Título: A Garota Perfeita
Autora: Mary Kubica
Editora: Planeta do Brasil
Páginas: 320
Edição: 1º
Avaliação: ☆☆

Sinopse: "Mia, uma professora de arte de 25 anos, é filha do proeminente juiz James Dennett de Chicago. Quando ela resolve passar a noite com o desconhecido Colin Thatcher, após levar mais um bolo do seu namorado, uma sucessão de fatos transformam completamente sua vida.
Colin, o homem que conhece num bar, a sequestra e a confina numa isolada cabana, em meio a uma gelada fazenda em Minnesota. Mas, curiosamente, não manda nenhum pedido de resgate à família da garota. O obstinado detetive Gabe Hoffman é convocado para tocar as investigações sobre o paradeiro de Mia. Encontrá-la vira a sua obsessão e ele não mede esforços para isso. Quando a encontra, porém, a professora está em choque e não consegue se lembrar de nada, nem como foi parar no seu gélido cativeiro, nem porque foi sequestrada ou mesmo quem foi o mandante. Conseguirá ela recobrar a memória e denunciar o verdadeiro vilão desta história?"

Mia Dennett é uma jovem bonita, independente e que trabalha como professora de Arte em uma escola. Apesar de ser de uma família rica, já que o pai é um respeitável Juiz de Chicago, ela se mantém distante devido as desavenças que permeiam essa relação com os pais e a irmã mais velha desde a sua infância e adolescência. A família pouco sabe sobre a sua vida, pouco se comunicam e a relação é fria desde que a garota fez 18 anos e resolveu morar fora de casa. Por isso, quando Mia desaparece, deixa muitas duvidas se realmente o fez propositalmente ou algo grave aconteceu. Contudo, Mia foi sequestrada por uma misterioso rapaz que conhecera certa noite em um bar, após levar mais um bolo do seu quase namorado. Tudo parecia ok, até Mia aceitar ir a casa desse rapaz e descobrir que por trás desse convite existiam outras intenções, que a levam até uma cabana isolada e fria em Minnesota, onde ela passa anos em cárcere, sem entender ao certo o porquê e até quando viveria assim.

O livro é dividido em três narradores: Gabe Hoffman, o detetive que investiga o desaparecimento de Mia; Eve Dennett, a mãe de Mia e Collin Thatcher, o sequestrador. Essa estrutura geralmente deixa a leitura muito mais fácil e os capítulos discorrem rapidamente, podendo nos mostrar o lado de cada personagem diante do enredo – inclusive o de Mia, que fecha o livro narrando o último capítulo –, mas achei bastante tedioso boa parte dos capítulos. Sempre gostei de thrillers psicológicos, de livros a filmes cheios de suspense que te deixa querendo saber o que vai acontecer nos próximos capítulos, o que aconteceu com os personagens, como os mistérios serão solucionados e as reviravoltas até chegar o final. A Garota Perfeita me lembra muito outros livros do mesmo gênero, como A Garota no Trem e Garota Exemplar, dois grandes sucessos que eu particularmente gosto bastante. Só que nesse livro senti falta de um pouco de emoção durante a narrativa e entre muitas páginas fiquei esperando algo diferente acontecer, mas acabou se tornando bem entediante. O que realmente me segurou foi querer entender como Mia conseguiu escapar, já que a narrativa deixa claro que ela foi resgatada, porém não se recorda de nada e nem se sabe o que aconteceu com Colin, que continua desaparecido.

Acredito que o livro vá além de uma investigação sobre um sequestro de uma jovem mulher que trabalha como professora e vem de uma família bastante influente. A narrativa também nos faz pensar no quanto estamos submersos no mundo das aparências, na sustentação da imagem de uma "família e vida perfeitas" que muitas vezes passa muito longe disso. Outro ponto positivo é que achei Mia uma personagem interessante, a narração dos outros personagens a faz parecer uma garota misteriosa que esconde muitas coisas sobre o seu passado, o que também me deixou mais apreensiva para saber o final da história.

E então, já leram? Gostaram? É só contar!

Você pode gostar também de

0 comentários: